Modelo de Intervenção

A E2OM procura criar condições para o desenvolvimento de processos de desenvolvimento pessoal e de construção pessoal, de inversão de trajectos anunciados de exclusão social. Nesse sentido intervém em várias áreas problemáticas relevantes na vida destes jovens – a integração familiar, a saúde, a sustentação económica, o alojamento, os consumos de drogas, os problemas de justiça, emprego, formação.

A intervenção não é meramente institucional, mas é gerida pelo próprio jovem com o apoio de profissional(is) significativo(s) e as necessárias articulações interinstitucionais, sendo parte de um processo de envolvimento muito activo do jovem na mudança da sua vida.

Esta é uma resposta de transição entre o abandono escolar e a formação e/ou emprego. Não uma alternativa específica aos sistemas regulares de formação. Transitória também no tempo de intervenção – apenas o necessário à integração em percursos de formação e emprego.

É também uma resposta socioeducativa integrada. Formação como desenvolvimento pessoal e construção pessoal significativa e não imposição de um curriculo. A procura do talento, custe o que custar, deslocando o foco do fracasso para a descoberta do potencial.

A educação de segunda oportunidade, com enquadramento e impulso europeu, é ela própria uma oportunidade, um campo de diversidade de experiências e de adequação às realidades nacionais e aos problemas específicos a que procura responder.

Filosofia

Pedagogia

Organização da Formação

Assembleia de Escola

465681_382065748478593_385297542_o.jpg